Agronomia aposta em sistema de irrigamento para melhorar cultivo de café

Proporcionar aos alunos mais condições de aprender e melhor desenvolver suas habilidades. Com esse objetivo o curso de Agronomia da Faculdade Marechal Rondon (Faron) iniciou o projeto de melhoramento em seu campo experimental. Um sistema de irrigação localizada por gotejamento foi implantado para melhorar o cultivo do café.

O coordenador do curso e também responsável pelo desenvolvimento do sistema, o professor Irineu Pedro de Souza Andrade, explicou que com o método a lavoura plantada no campo experimental tende a se desenvolver com mais facilidade. "O café clonal é uma cultura que exige uma quantidade maior de água, mas e preciso fazer a irrigação corretamente para que o resultado seja satisfatório", explicou.

Andrade explicou que a cultura leva em média um ano para começar a produzir e tem sido bem aceita na agricultura familiar no Cone Sul do Estado. "Nosso interesse maior é adaptar o ensino para a realidade dos nossos alunos, ensina-los a trabalhar com o que ha disponível e de facil acesso para melhorar a produtividade", enfatizou.

A cafeicultura em Rondônia a cada dia conquista mais adeptos, com aproximadamente 23 mil produtores, o café ocupa uma área de mais de 83 mil hectares em vários municípios do estado. A produção é predominante da variedade é o conilon robusta, por ser mais resistente e que melhor se adaptou à região.

Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção do Estado na safra 2018 deve atingir entre 2,3 a 2,4 milhões de sacas beneficiadas, um aumento de 17 a 24% superior à safra 2017.